Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Durante a semana cinéfila oferecida na cidade de Londrina pela 14° Mostra Londrina de Cinema, a cidade hospeda nomes importantes do cinema nacional e internacional. Abaixo a relação de alguns hóspedes.

Fernando Severo

Diretor do Museu de Imagem e Som (MIS) é o publicitário. Formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal do Paraná, é realizador de diversos filmes e vídeos, vencedor de mais de 50 prêmios nacionais e internacionais, além de ser considerado pela crítica um dos expoentes da geração que renovou o curta-metragem brasileiro a partir dos anos 80. Na #MOSTRALONDRINA o cineasta integrar o júri da Competitiva Nacional de Curtas – ao lado dos cineastas Berbard Payen e Rodrigo de Oliveira -.

Bernard Payen: O francês é curador da Semana da Crítica de Cannes (Cannes é um dos mais prestigiados e famosos festivais de cinema do mundo). Editor-chefe do site Objectif Cinema por seis anos (2000-2006), Coordenador da programação de curtas-metragens da Semana da Crítica desde 2006, programador da Cinemateca Francesa e colaborador mensal de um programa sobre cinema para uma rádio local de Paris, Payen tem um apreço especial pelo curta-metragem brasileiro. (confira entrevista exclusiva na Revista Taturana lançada amanhã, 21 de setembro, na noite de abertura da Mostra Cinema). Payen estará em Londrina para apresentar três sessões especiais com curtas exibidos no Festival de Cannes, além de integrar o júri da Competitiva Nacional de Curtas – ao lado dos cineastas Fernando Severo e Rodrigo de Oliveira -.

Foto: Felipe Fontoura

Rodrigo Fornos: Produtor Cultural, nascido em Santos (SP), casado com a jornalista Caroline Carvalho, está em Curitiba desde 2003 quando veio para a produção do filme Cafundó, de Paulo Betti e Clóvis Bueno. No ACT – Ateliê de Criação Teatral, de Luis Melo e Nena Inoue, e na Sutil Companhia de Teatro, de Felipe Hirsch, Guilherme Weber e Erica Migon, estudou e fez produção. Na televisão foi produtor executivo do progama Canal Livre sobre o cinema local e nacional, exibido na E-Paraná (TV Educativa). Na Fita Crepe Filmes produziu e dirigiu audiovisual. Agora está na Secretaria da Cultura do Paraná, na Coordenadoria de Ação Cultural e responsável pelas políticas de Audiovisual.

Mário Bortolotto: é um ator, diretor, dramaturgo e compositor brasileiro. Comemora seu aniversário logo após o término da Mostra Londrina Cinema, dia 29 de setembro. Nascido em Londrina, estudou em seminário e na adolescência iniciou sua carreira artística no teatro e na literatura. Participou de inúmeros festivais de teatro pelo Brasil, sempre com o Grupo Cemitério de Automóveis. Em 2000 ganhou o Prêmio APCA pelo conjunto da obra e o Prêmio Shell de melhor autor por sua peça “Nossa Vida não Vale um Chevrolet”. Desde 1996 mora e trabalha em São Paulo.

 

Daniel Aragão Cavalcanti: Mais conhecido no cinema como Daniel Aragão  é diretor brasileiro, nascido no Recife. Trabalhou como assistente de direção no filme Cinema, Aspirinas e Urubus (2005), de Marcelo Gomes, premiado com o Prix de la Education na mostra Un Certain Regard do Festival Internacional de Cannes em 2005. Seus curtas A Conta-Gotas (2006), Uma Vida e Outra (2007), Solidão Pública (2008) e Não me Deixe em Casa (2009) acumularam prêmios e participações em diversos festivais ao redor do mundo, incluindo Hamburgo, Locarno, Clermont-Ferrand e o IDFA. Em 2007, foi convidado pelo festival de Berlim para participar do Berlinale Talent Campus. “Boa sorte, meu amor” (2012) é seu longa metragem de estreia na direção, que será apresentado na 14ª Mostra Londrina de Cinema.

Patrícia Moran Fernandes:  Em meados dos anos 1980, começa sua trajetória tanto no cinema quanto no vídeo. Com VHS realiza ensaios poéticos em vídeo, videoclipes de bandas de garagem em Minas Gerais e produz filmes de curta metragem. No Rio de Janeiro, cursa mestrado em comunicação social na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e dirige o curta-metragem “Ócio e o vídeo Maldito Popular Brasileiro: Arnaldo Baptista“, um dos vencedores da concorrência Fiat. Professora do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), faz o doutorado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) desde 1999. Atualmente realiza trabalhos tanto em película quanto em vídeo e tem sua produção marcada pela linguagem eletrônica. Na mostra Londrina é convidada da sala magenta para sua película “Ponto.Org”.

Gregório Graziosi:  O diretor brasileiro Gregorio Graziosi ganhou o prêmio de melhor curta-metragem latino-americano do 23º Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata (Argentina) com o filme “Saltos” (2008). Em seu currículo, Graziosi possui também os curtas “Masturbação” (2005) e “Saba” (2006). Brasileiro, formado em cinema pela FAAP e em artes plásticas pela escola Panamericana de artes e design. Escreveu e dirigiu os curta-metragens Saba, Saltos, Phiro, Mira e Monumento. Entre os festivais que participou, destacam-se exibições em Cannes (frança, 2007), Locarno (suíça, 2008, 2009 e 2012) e Mar Del Plata, (argentina, 2008). Neste último, “Saltos” foi premiado como melhor filme da categoria. Destacam-se também participações nos festivais de Clermont-Ferrand (frança, 2009 e 2010) e IDFA (holanda, 2006, 2008 e 2011), respectivamente os mais importantes nas categorias curta-metragem e documentário. Desenvolveu argumento, roteiro e edição do longa-metragem “Boa Sorte Meu Amor” em parceria com o diretor Daniel Aragão. Filme realizado com prêmio da fundarpe e estréia mundial no festival de locarno. Atualmente trabalha no seu primeiro longa-metragem: ”Obra” com produção de Zita Carvalhosa pela superfilmes.

Estes são alguns dos mais de 17 ‘hóspedes’ que Londrina vai receber a partir de amanhã, às 14h na exibição do primeiro filme da Mostra Londrina de Cinema.

Fotos Reprodução

Anúncios