Tags

, , , ,

Enquanto arrumava a louça do almoço com meu irmão, retirei um plástico do lixo orgânico e chamei a atenção dele. Além de ser coisa de irmã mais velha, ele, mais novo, rebateu: “Ah, salvou o mundo! ”.

Salvei! E salvei não por causa da justificativa clichê de que “estou fazendo a minha parte”. Salvei porque gastei água para limpar o material reciclável, salvei porque acredito que aquele não seja o lugar dele, salvei porque por um minuto tive a humanidade de me colocar no lugar do outro.

Essa ação deveria ser levada em conta com uma visão mais amplificada e menos caçoada. Adaptar o olhar e o sentimento para com o outro e fazer com que cada coisa ocupe seu espaço, lugar no mundo.

Maíra Palmieri

Anúncios