Tags

, , , , , , , , , , , , , , ,

Há quatro anos no mercado o futuro do mercado sustentável propõe corte e costura com abamentos e reinvenções com asas

Imagem

Bianca Baggio no último telefonema do dia.

No verão, ao vestir-se, menos é sempre mais. Blusas sem manga, saias curtas e peças justas ganham a atenção do público feminino. É a iludida busca pelo frescor. Ao conhecer o trabalho Bianca Baggio o foco da busca mudou.

Construindo um novo conceito de vestimenta, seu coração tem veias campineiras que pulsam na cidade de Londrina. Formada em Designer de Moda pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), seguiu na carreira acadêmica aonde se especializou em Gestão Sustentável e Moda Sustentável.

Nas agulhadas há quatro anos, em 2009 Bianca Baggio fez uma coleção 100% Sustentável, a linha ECOB. Usou peças prontas para dar origem a outras peças. Transformou manta de sofá e lençol, em calças. Deixou a criatividade reinar dando assas ao que no guarda-roupa não voava mais.

Linha ECOB



Durante a entrevista café, pão de queijo e bolo de chocolate perfumavam o aroma do escritório. Ela falou sobre a importância da sustentabilidade, da moda, do indivíduo, das escolhas do consumidor, inspirações, troca de coleção e alertou “é você quem usa a moda, e não ao contrário”.

Triângulo: Eu, a Moda e a Sustentabilidade

Se para alguns autores a imprensa exerce a função de quarto poder na sociedade, diria que as roupas ocupam o quinto lugar. Tão poderosas quanto a comunicação ela transmite a imagem que você quiser. O maior problema desta prática é que nem sempre a informação de moda, do lado de quem vê, tem a possibilidade de ser apurada para se tornar real.

“A moda comunica muito, a primeira coisa que você vê quando olha para uma pessoa é a roupa, independente se ela (a roupa) te chama ou não a atenção. Um dos primeiros contatos que você tem quando vem ao mundo é o visual, então é algo muito importante”.

A indústria de Fast Fashion (Moda Rápida) fabrica milhares de peças de roupa diariamente. Este segmento no mercado de moda foi criado para atender o consumidor que se preocupam em acompanhar tendências. Bianca dá um alerta ao futuro deste segmento.

“Se essa quantidade de produção não for moderada,em relação ao meio ambiente, todo o mundo vai sofrer”. Uma das formas de conter um dano significativo no meio ambiente, por meio do excesso de produção das roupas é o consumi consciente. “Quando você quebra esse excesso de consumo percebe que é o pensamento que tem que morrer, e não o mundo acabar”. Deixa a dica.

Os cabides são revestidos de retalhos, que além do charme, não desfia as peças de roupa.

Peças da coleção Alívio recém chegadas do Bazar.

Algumas estavam penduradas.

Manequim e estante com referências e objetos de trabalho.

Outra questão abordada na área da indústria têxtil foi o precário sistema de produção das grandes confecções, assim como foi o caso da Zara, ano passado, acusada de trabalho escravo.

“Nem sempre as costureiras tem seus direitos trabalhista, costuram em situações inadequadas, mal comem e produzem mais peças que o permitido. Isso é trabalho escravo. É um absurdo!”. Exclama.

A moda dá o exemplo de vida mais saudável para todo ser humano. “O conceito de sustentabilidade não está só na moda, está em todo lugar, ele é um meio de pensar. É algo que você precisa se identificar, é uma opção, você escolhe ser sustentável”. Explica Bianca Baggio.

A ideia da estilista é que “para se ter uma vida sustentável é preciso ter hábitos dentro da rotina, que leve você a viver uma vida sustentável. É preciso fazer uma associação com o ‘Eu e a Sustentabilidade’ para que o ser sustentável possa evoluir no cotidiano social”.

Régua e tesoura são peças fundamentes para a modelagem

Painel para organizar cores e referências.

Colecionando Coleção

Bianca não se prende a coleções ou referências extremistas. “Minhas peças são atemporais. Essa é a proposta da marca “Ateliê Bianca Baggio”. Algo que fuja das tendências passageiras. “A ideia são peças elegante, que vão te deixar sempre bem vestida, por causa do bom caimento. É uma peça que você pode usar em qualquer estação, jogar uma sobreposições, que estará sempre na moda”.

“Ainda mais com esse tempo instável”, rebato eu, após ela responder a pergunta.

“Que é resultado de uma ação não sustentável do homem”, complementa Bianca.

A primeira coleção da marca, Bianca chama carinhosamente de “carro chefe”, mas tem como nome “ALÍVIO”. “Além da sensação de término da coleção, retrata também algo físico e abstrato. A palavra por si carrega muito valor, ainda mais para o clima de verão. Sabe aquela coisa de você tomar um banho, ficar fresquinha e colocar uma roupa levinha para manter a boa temperatura?

Sim! Respondi.

“Foi pensando exatamente nisso, que surgiu o nome”. Completa.

As peças propõem um acabando fitado, ou seja, a parte interna das roupas é revestida com retalhos. Este processo além de ajudar a sustentabilidade colabora na durabilidade do vestuário. “Uso retalhos de cetim para cobrir a costura interna da peça. Isso dá um acabamento mais resiste e valoriza o trabalho”. Conta Bianca.

Coleção Alívio

No mesmo ponto, outro nó

Sempre em busca de postos de venda, Bianca também faz trabalhos externos de confecção, produz figurinos e monta e/ou remonta peças xodó. Aquela blusa que você comprou e lhe caiu tão bem, que você não se importa em usar mil vezes na mesma festa.

Entre em contato:

(43) 3029-8694

(43) 8824-8694

biancabaggio@hotmail.com

Fotos Ateliê Bianca Baggio

Anúncios